HISTÓRIA


MATRIZ COM TRÊS PORTAS NA FRENTE



MATRIZ COM A QUARTA  PORTA( A PORTA SANTA)


JÁ SANTUÁRIO COM AS CINCO PORTAS


Como tudo começou...
A Paróquia de Senhora Sant’Ana foi criada em 13 de agosto de 1821, por um decreto do Imperador Dom Pedro I, desmembrando-a, assim, da Paróquia de São João Batista, de Açu.
Em 1826, José Virgílio Borba fez doação de uma parte de terra para patrimônio da Matriz. Em 1907, os limites da Paróquia foram alterados por  Dom Adauto e, em 1912, D. Joaquim põe os limites da Paróquia em igualdade com os civis.
 Foi a décima primeira paróquia a ser criada no Rio Grande do Norte, quando ainda era, do Imperador, a determinação de criar uma paróquia. Na época, o Rio Grande do Norte era ligado à Arquidiocese de Olinda e Recife.
O Padre Lúcio Gambarra (1907 a 1915) foi o responsável pela construção da maior parte da Matriz. Ela conseguiu que dos Estados Unidos, por intermédio do Coronel Cascudo, um forro de zinco esmaltado e em relevo, de linda padronagem, que hoje cobre todo o teto interior da Igreja.
        


Teto (Matriz -foto antiga)

A Paróquia de Santana abrange, atualmente, os municípios de Santana do Matos e Bodó com uma área de 1.674 km, com 66 comunidades e é administrada pelo Pe. Josino Raimundo da Silva. 
Por ocasião do Ano Jubilar Extraordinário da Misericórdia instituído pelo Papa Francisco, no dia 13 de janeiro de 2016, foi aberta uma Porta Santa na Paróquia de Senhora Sant'Ana, em virtude de ser uma das Paróquias mais antiga da Região Central . Na porta, foram esculpidos os brasões do Vaticano, da Arquidiocese de Natal, da Paróquia de Sant’Ana, além do símbolo do Ano da Misericórdia.

Porta Santa (Santuário de Sant'Ana)

         No dia 26 de julho de 2016, por um decreto do Arcebispo Metropolitano, Dom Jaime Viera Rocha, a Matriz de Sant’Ana foi elevada à Paróquia Santuário de Senhora Sant’Ana.





Devoção a Sant'Ana


Andor (Festa de Sant'Ana -2016)


Os festejos em alusão a padroeira Sant’Ana acontecem anualmente no período  de 16 a 26 de julho, com uma programação especial. As atividades constam de missa, todas as noites, caminhadas matinais pelas principais ruas da cidade, peregrinação da imagem de Sant’Ana  nos bairros e zona rural do município. Conta também com a participação de vários padres e do Bispo da Arquidiocese de Natal, além de programação cultural e  uma grande procissão de encerramento. É considerada a maior festa da cidade.
História de Sant'Ana

Os pais de Maria Santíssima foram Joaquim e Ana. Aos 20 anos de idade, Joaquim descendente da tribo de Judá, casou-se com Ana, da mesma tribo. Vinte anos se passaram desse feliz casamento, sem que um filho ou filha nascesse o que causava muita tristeza no coração do casal. Joaquim, homem rico e piedoso, passava seus dias dando esmolas a órfãos , pobres, viúvas e estrangeiros. 
Certa vez, quando foi ao templo fazer sua oferta de expiação, o sacerdote Rúben não permitiu que ele a entregasse, pois não era uma pessoa abençoada, isto é, não tinha dado a Israel  um descendente . Conta a tradição que tamanha foi sua tristeza que fugiu para montanha, ficando ali por longo tempo em oração e jejum.
Ana também implorava ardentemente que o senhor ouvisse suas súplicas e lhe concedesse um filho. Deus ouviu a prece de ambos e enviou um anjo para anunciar-lhe :"Ana, Ana o Senhor Deus ouviu atendeu a tuas preces. Conceberás e darás lua luz e, em toda terra, se falará de tua descendência "Joaquim recebeu mensagem semelhante e voltou radiante para casa. E Ana concebeu e deu a luz a  uma menina a quem deu o nome de Maria (mãe de Jesus).
fonte: Sant'Ana: novena e história. Editora:Paulinas, 2012.

Brasão da Paróquia


Dizeres do Brasão


  • Cruz- maior  sinal de nossa fé cristã é ela que sustenta o escudo da Paróquia.
  • A cor azul - simboliza a realidade celeste onde está a padroeira Sant'Ana.
  • A coroa-lembra a origem desta Paróquia que foi criada ainda no regime imperial.
  • A concha voltada para baixo - A concha designa a gloriosa mãe da mãe de Jesus, Sant'Ana. A concha embora de superfície dura e aparentemente sem vida, guarda dentro de si a carne e também produz a pérola que tem um grande valor. Sant'Ana após muito sofrer  por sua esterilidade, alcança de Deus, já com idade avançada, a graça de conceber e dar a luz a uma filha, Maria Santíssima.
  • O livro da sagrada escritura - Simboliza a pertença de Sant'Ana ao povo da aliança e bem como sua viva esperança nas palavras proféticas sobre a vinda do Messias.
  • A cor vermelha -significa o grande amor e misericórdia divina, derramados na humanidade inteira.
  • A aresta na cor vermelha - simboliza a Serra de Santana.
  • O Listel entre dobrado - Contém a data da fundação e o orago paroquial:13-08- Paróquia de Senhora Sant'Ana-1821.
  • MATER ET MAGISTRA- Dizeres latinos que significa "Mãe e Mestra". 














Postagens mais visitadas